Legalização da Cannabis

 

Temos de perceber o problema da droga e da proibição, logo pela primeira falha do sistema, que é o tráfico. O proibicionismo engorda o tráfico e os barões que se alimentam dele. Não serve a sociedade, nem protege os toxicodependentes. Pelo contrário, a repressão não é o caminho indicado. É urgente debater o assunto com argumentos sérios, com políticos sem medo de tomar decisões por causa dos votos que lhes caem nos bolsos.

É urgente que a discussão dê lugar a soluções e o problema possa ser explicado ao povo e compreendido pelos professores. É necessário encontrar soluções para o beco sem saída onde a sociedade vive encurralada.

É recomendada a imediata despenalização de posse e consumo das drogas leves, que aliás no caso de derivados dacannabis, como o haxixe ou erva (marijuana), se sabe não existirem mortes por excesso de dose, ou dependência física (decisão apoiada pela Comissão Nacional de Combate à Droga, no relatório entregue ao Governo no final de 1998). De qualquer forma esta droga leve, de efeitos menos desastrosos que o álcool, também deve ser compreendida culturalmente. Um estudo apresentado no final de 1998 pela O.M.S. (Organização Mundial da Saúde), mas não divulgado devido a alegadas pressões políticas, revelou que o consumo de cannabis chega a ser menos prejudicial do que o álcool! Este, em caso de dependência, transmitia um risco maior de acidentes e suicídios, e danos mais graves na saúde, como a cirrose (segundo a revista britânica New Scientist).

A experiência holandesa, de liberalização das drogas leves, iniciada em 1975, continua a ser a mais audaciosa de todas as políticas europeias, embora em 2001 a Bélgica tenha descriminalizado o consumo e posse privado; em Portugal, a posse para consumo individual está discriminalizada, ou seja, o consumidor é admoestado e autuado, mas não poderá ser incriminado. O uso médico começa a tornar-se cada vez mais relevante face às últimas descobertas científicas, que apresentam diversas situações em que o consumo controlado de cannabis produz efeitos positivos. Casos de ajuda no tratamento da SIDA e anorexia (provoca aumento de apetite), no tratamento de esclerose múltipla (alivia a dor e as contracções), ansiedade e stress (tem efeitos ansiolíticos e relaxantes), na quimioterapia - no tratamento em casos de cancro - (evita o vómito e outros efeitos secundários muito chatos). Existe neste momento uma grande empresa farmacêutica britânica (a GW), que se dedica exclusivamente à produção de medicamentos utilizando a cannabis, e para este efeito tem uma plantação de cannabis psicoactiva de vários hectares - a única legal no Reino Unido - em local secreto.

O PROBLEMA só poderá ser resolvido através da EDUCAÇÃO e da PREVENÇÃO, com esclarecimento adequado e não com histórias do bicho papão. Ou então estaremos condenados a viver na fantasia e a tapar o sol com a peneira. «A vida não é uma droga», mas também não é um mundo cor-de-rosa. Entre o uso e abuso existe o direito de estar informado e de escolher. 

Ao legalizar conseguimos obter mais postos de trabalho!


Um abraço a todos os seguidores da mensagem, seja ela qual for, desde que seja uma das melhores. Paz


OU

O seu endereço de "email" não será publicado no nosso "site". Contudo, o autor da petição terá acesso a toda a informação que fornecer neste formulário.

Irá receber um email com uma ligação para confirmar a sua assinatura. Verifique a sua caixa de entrada (e a pasta de spam)
Facebook